Construtoras descobrem o mercado de locação

Publicado em 21 de novembro de 2019 às 10:33

São muitas as dúvidas sobre o futuro do mercado de locação de imóveis e vários os fatores que impactam neste segmento –  a começar pela transformação digital e mudanças de hábito dos consumidores.

Pesquisas de comportamento mostram que 80%dos Millennials (geração Y, também chamada geração do milênio, geração da internet, ou milênicos se refere aos nascidos após o início da década de 1980 e até ao final da década de 1990) preferem o aluguel a compra da casa própria, além de sempre darem mais valor a experiência que a posse do produto.

Outra pesquisa do IBGE mostra que mesmo no Brasil o “sonho da casa própria” já não é a preferência nacional e que tem perdido para o “sonho de viajar”. Esta nova geração, já familiarizada com a digitalização dos produtos, e a uberização dos serviços querem agilidade nas decisões. Assim, é urgente que o setor esteja cada vez mais aberto às soluções da tecnologia e inovação.

Com todas estas mudanças e a perspectiva de atingir este nicho de mercado, algumas construtoras estão diversificando e atuando como administradoras de locação. O sucesso do novo negócio, tem levado algumas construtoras a empreender em novos imóveis com o objetivo de alugar, em vez de vender. O alto custo do imóvel tem tornado o sonho da casa própria em um pesadelo. Muitas opções são imóveis distantes do local de trabalho, e com trânsito carregado, vários profissionais, especialmente os mais jovens preferem morar perto do emprego, em vez de investir na casa própria, optam pelo aluguel de um imóvel que proporcione mais qualidade de vida.

Algumas das maiores construtoras do Brasil já atuam na área de locação.

MRV
A MRV também tem uma empresa própria para locação, chamada Luggo, com um prédio em operação em Belo Horizonte e outros edifícios em obra. HM Engenharia, empresa da Mover (antiga holding Camargo Corrêa S.A.), fechou parceria com a plataforma de aluguel de imóveis Quinto Andar para locação de unidades do estoque da incorporadora.

CYRELA
A incorporadora Cyrela formou uma joint venture com o fundo Canada Pension Plan Investment Board (CPPIB) para entrar no mercado de locação de imóveis residenciais. “Ainda não quero falar muito. A renda residencial deve ser um segmento interessante no leque imobiliário. Queremos testar”, disse o copresidente da Cyrela, Rafael Horn, durante teleconferência com investidores e analistas.

VITACON
Com a maior demanda dos brasileiros por flexibilidade na moradia, a Vitacon lançou em janeiro o primeiro condomínio da Housi, startup de aluguel, na capital paulista. O edifício, 100% focado em locação, conta com apartamentos mobiliados, segurados e até com serviço de camareira — em estilo semelhante aos flats executivos.

Os grandes grupos de construção e incorporação imobiliária do País apostam cada vez mais em parcerias e joint ventures com empresas de seus segmentos em outros estados para garantir espaço em praças onde ainda não têm forte atuação. Por outro lado, imobiliárias frequentemente buscam maneiras de ampliar o alcance e diversificar o portfólio. Neste contexto, uma ótima opção para gestores de imobiliárias é buscar fechar parcerias com construtoras, para juntos conquistarem esta fatia, afinal sua especialidade na administração delocação de imóveis poderá ser vantajosa para todos.

 

Conclusão: fique atento às transformações do mercado e às possibilidade de faturar ainda mais.

 

Fonte: Rosalvo Barreto

Compartilhe essa notícia
Leia também
Grupo lança empreendimento industrial em Goiás
Você conhece a proposta de modificações na Lei do Inquilinato?
Imóveis de Lula seguem bloqueados pela Justiça
Atrasados do Minha Casa Minha Vida somam R$ 500 milhões
Construção treina para caça ao Aedes Aegypti
Crédito imobiliário em setembro: o maior dos últimos 53 meses
Airbnb é condenado a indenizar hospede
STJ permite penhora de bem de família para pagar dívida na construção civil
Zampieri Imóveis realiza ação social de combate ao AVC
Prédio desaba em Fortaleza e deixa mortos