Administradoras de condomínio em tempos de pandemia

Publicado em 7 de abril de 2020 às 13:34

O isolamento social por conta da pandemia do COVID-19 trouxe aos condomínios um número maior de pessoas ocupando o espaço ao mesmo tempo e com a necessidade ainda maior de ter a manutenção do condomínio em pleno funcionamento.

De acordo com o Advogado e presidente da Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (AABIC), José Roberto Graiche Júnior, as administradoras de condomínio foram muito perspicaz ao perceber o direcionamento da pandemia e ampliar os canais de comunicação com os condomínios para evitar o avanço do contágio.

Mesmo sem o contato físico, por conta dos decretos de fechamento temporário das empresas para atendimento presencial ao público, muitas administradoras de condomínios criaram medidas para prevenir a propagação do novo coronavírus, inclusive com a redução do número de funcionários circulando.

José Roberto Graiche Júnior, presidente da AABIC

“O desafio foi manter as áreas limpas, as portarias protegidas e planejadas para eventuais ausências de funcionários e todos os equipamentos e sistemas em pleno funcionamento: elevadores, bombas d’água, caldeiras, geradores e tudo mais que envolve a rotina de um condomínio. Cuidar de tudo isso em um período de crise e confinamento foi muito importante para transmitir segurança, tranquilidade e bem-estar aos moradores. Nosso maior desafio é não deixar interromper nenhuma atividade nos empreendimentos administrados, sejam elas operacionais ou burocráticas, mesmo com a mudança de forma de trabalho que fomos obrigados a seguir, trabalhando de portas fechadas sem atendimento ao público e em home office”, avalia José Roberto Graiche Júnior, que também é vice-presidente do Grupo Graiche.

O síndico também ficou mais em evidência com esta situação de pandemia. Afinal, é dele o dever de manter o condomínio em pleno funcionamento e em harmonia – o que, com carga máxima de moradores ao mesmo tempo no condomínio, não se torna uma tarefa tão fácil.

É do síndico a função de comandar o condomínio e de estar na linha de frente das decisões mais acertadas para evitar o caos dentro do lugar, garantindo também a segurança de todos. E ainda lidar com crianças isoladas em seus apartamentos; condôminos ‘teimosos’ que não querem respeitar as diretrizes de confinamento ou que querem usar piscina ou parquinho, por exemplo.

“O síndico atua como o ‘prefeito’ destas ‘pequenas cidades’, comandando os processos, delegando funções e reforçando as ações de prevenção junto aos moradores. O desafio é conciliar os interesses de diversos condôminos confinados com o uso de áreas comuns, execução de reformas e obras, respeito ao silêncio para home office, entre outras necessidades dessa nova rotina pós quarentena. Para gerenciar tudo isso o síndico deve agir com bom senso, estimular o engajamento de todos e investir em uma boa comunicação”, lembra o presidente da AABIC.

Para José Roberto Graiche Júnior, em momentos de crise, a administradora de condomínios prova porque é essencial a um condomínio.

“Acredito que o isolamento e a obrigatoriedade de lidar com diversas situações inusitadas e emergenciais, bem como mudanças bruscas em legislações, serviram para ‘mostrar’ para muitos da comunidade condominial a importância da empresa administradora na condução dos processos, na especialização da área e na experiência em lidar com situações de crise das mais diversas. As administradoras estão provando que já possuíam todo um aparato de mobilidade, segurança, comunicação e transparência para que o condomínio continuasse mantendo suas atividades. Nosso trabalho ficou mais perceptível aos olhos de todos!”, disse ele.

Compartilhe essa notícia
Leia também
Pandemia muda comportamento em condomínios
Aluguel: quem paga reforma, conserto, IPTU: dono ou inquilino?
É lei! Síndicos devem comunicar violência contra a mulher
Justiça profere decisões relativas a condomínios em São Paulo
Noite de sax alegra moradores de condomínio
Alagoas realiza assembleia digital em condomínio pela 1ª vez
Justiça garante circulação de cão em áreas comuns de condomínio
Projeto de Lei estabelece medidas restritivas em condomínio
Condomínios mudam hábitos durante pandemia do COVID-19
Juízes não podem exercer função de síndico