Construção civil: crescimento e seu impacto no PIB

Publicado em 11 de março de 2020 às 09:56

A economista Ieda Vasconcelos, do Banco de Dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), fez uma análise sobre o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019, divulgado ontem (5/3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e que fechou o ano com crescimento de 1,1%, totalizando R$ 7,257 trilhões. Entre os destaques está o crescimento de 1,6% na construção.

Confira oito pontos sobre o crescimento da construção civil e seu impacto no PIB:

1 – A economia brasileira cresceu 1,1% em 2019, resultado que ficou dentro das expectativas do mercado, que variavam de 1,1% a 1,2%. Apesar disso, o desempenho ficou inferior a 2017 (1,3%) e 2018 (1,3%). Foi o terceiro ano consecutivo de alta do PIB. No período de 2017 a 2019 a economia nacional acumulou incremento de 3,75%, número que, apesar de positivo, não conseguiu ainda repor a queda de 6,68% observada no período da recessão (2015-2016).

2 – A alta na Construção (1,6%) certamente contribuiu para puxar o crescimento do PIB nacional e do PIB industrial (0,5%). O resultado, que ficou acima do incremento do País (1,1%), interrompeu uma sequência de cinco anos consecutivos de queda no setor.

3 – O consumo das famílias aumentou 1,8% no ano passado. A redução da taxa de juros e a melhora do mercado de trabalho ajudam a justificar este desempenho. Os investimentos também cresceram: 2,2%. A alta de 1,6% no PIB da Construção Civil certamente contribuiu para esse dinamismo. O setor é responsável por cerca de 50% dos investimentos. A taxa de investimentos no País encerrou o ano em 15,4%, número pouco superior a 2018 (15,2%), mas ainda muito distante dos resultados apresentados no início da década (cerca de 20%).

4 – No quarto trimestre de 2019 (em relação ao terceiro trimestre, na série com ajuste sazonal) a Construção Civil apresentou queda de 2,5% em seu PIB. Foi o pior desempenho dentre todos os setores de atividade. Esse resultado impediu uma melhor performance do setor em 2019. Vale lembrar que as estimativas sinalizavam alta de 2% no PIB da Construção.

5 – Alguns dos fatores que ajudam a explicar este resultado no quatro trimestre de 2019 são: as dificuldades de liberação de recursos para o programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), o que certamente contribuiu para reduzir as obras no País; os investimentos em infraestrutura que não se concretizaram; e o direcionamento de verbas do FGTS para o consumo, que reduziu valores para o financiamento imobiliário.

6 – O desempenho do mercado imobiliário ajuda a explicar o melhor dinamismo da Construção. O Brasil registrou em 2019 uma alta de 15,45% nos lançamentos e de 9,7% nas vendas de imóveis residenciais novos, conforme dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). As dificuldades apresentadas com o MCMV podem ter impedido um maior avanço setorial no ano passado. Conforme a pesquisa do mercado imobiliário da CBIC, a participação do MCMV que estava em torno de 50%, caiu para 45% em 2019 em função da redução do orçamento do FGTS.

7 – Apesar de ainda muito modesto, diante de uma queda acumulada de aproximadamente 30% no período 2014 a 2018, o resultado demonstra que o setor voltou a respirar. É a primeira consequência positiva deste novo cenário foi sentida no mercado de trabalho. Em 2019 a Construção Civil registrou um saldo positivo de mais de 71 mil vagas com carteira assinada, de acordo com os dados do Ministério do Trabalho e Emprego.

8 – A taxa de investimentos no País encerrou o ano em 15,4%, número pouco superior a 2018 (15,2%), mas ainda muito distante dos resultados apresentados no início da década (cerca de 20%).

Compartilhe essa notícia
Leia também
Aluguel: veja orientação em época de pandemia
Caixa: mais de 100 mil pedidos de pausa no contrato habitacional
MP estabelece regras para relações trabalhistas
Medidas econômicas para reduzir impactos do Covid 19 nas empresas
CNN estreia no Brasil com promessa de jornalismo independente
Mulher na Construção Civil cresce 120% nos últimos 12 anos
OLX Brasil anuncia compra do Grupo Zap
92º ENIC será realizado em espaço versátil com localização estratégica
Cresce população ocupada na construção civil no trimestre
Summit Imobiliário de 2020: inscrições abertas