Reforma transforma construção abandonada em casa de veraneio

Publicado em 2 de dezembro de 2019 às 11:02

As arquitetas Bitty Talbot e Cecília Teixeira, do escritório Brise Arquitetura encararam um grande desafio ao projetar a reforma de uma casa em Búzios, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. Afinal, a construção estava abandonada havia 25 anos, e as profissionais precisavam transformá-la em uma casa de veraneio arejada, aconchegante e funcional para um jovem casal com três filhos pequenos.

As arquitetas encontraram um terreno amplo com uma construção composta por cinco blocos independentes: logo na entrada havia uma caixa d’água suspensa, que foi eliminada; em seguida, um bloco abrigava a sala e a cozinha; um terceiro bloco era destinado aos quartos; uma construção no meio do terreno servia de salão de jogos; por fim, ao fundo, uma pequena edificação funcionava como copa de apoio à piscina. “Essa composição se explica porque a função inicial da casa era ser uma pousada, mas acabou sendo embargada pelo condomínio, resultando em anos de abandono”, conta Bitty.

Apesar do estado de degradação, as arquitetas vislumbraram o potencial do imóvel. O insight veio das pitangueiras que demarcavam os pátios internos. A dupla abriu, então, a casa para essa área externa a fim de ter ventilação e luz natural em todos os cômodos. “Todo o desenho do piso externo, das novas coberturas e circulações buscou preservar as árvores existentes”, lembra Cecília.

A cozinha, mantida no mesmo bloco, é o primeiro ambiente da casa, e se integra à sala de jantar através do hall de entrada. Painéis de correr, do tipo veneziana, permitem seu fechamento ou abertura total, de acordo com a necessidade. “A sala de jantar se conecta a uma varanda coberta, criada especialmente para promover a ligação de todos os blocos existentes. Desta maneira, toda a área social da casa fica interligada”, explica Bitty.

A sala de estar, realocada para o outro bloco, ficou em contato direto com a piscina. Para criar um espaço mais agradável, o telhado foi todo desmontado, reaproveitado e refeito numa altura maior, o que trouxe ventilação natural e amplitude que as profissionais desejavam no ambiente.

É possível perceber claramente o contraste da nova arquitetura com a existente, já que as arquitetas optaram por usar nas novas construções estrutura metálica aparente e vidros associados à palha de dendê, material natural que proporciona conforto térmico. Nos revestimentos, a opção foi um único piso em todos os ambientes da casa para dar amplitude, alterando apenas o acabamento de acordo com a função.

Uma escada no hall de entrada leva ao segundo pavimento, onde fica a suíte máster do casal, integrada por quarto, banheiro e closet. Do outro lado do terreno ficam os quartos, antes dispostos em edificações separadas. “Decidimos unir todos os quartos em um grande bloco, criando banheiros individuais, totalizando quatro suítes, sendo duas para os filhos e duas para hóspedes”, explica Cecília.

A construção que havia no fundo do terreno foi derrubada para dar lugar a um anexo de lazer, integrado por área gourmet, lavabo, sauna e brinquedoteca, dispostos linearmente e voltados para o jardim e a piscina que já existia, mas com suas dimensões alteradas para se adaptar ao novo layout. Modificações que transformou o local em uma casa para ser vivida plenamente.

 

Fonte: Casa e Jardim

Compartilhe essa notícia
Leia também
Você sabe qual o tamanho ideal da TV para cada espaço?
Apê de designer ganha tons róseas em tudo
Restaurante em SP terá plataforma giratória
Revitalize banheiro sem quebrar nada
Casal constrói casa na floresta
Projeto brasileiro ganha prêmio em Paris
Varanda goumert é tendência no mercado imobiliário
CASACOR: novas ideias para espantar a mesmice
Casa é construída dentro de uma rocha
Contagem regressiva para a 33ª CASACOR São Paulo