Zona Central do Rio pode voltar a ser residencial

Publicado em 2 de dezembro de 2019 às 09:28

Centro histórico, comercial e financeiro do município e do estado do Rio de Janeiro, a Zona Central tem passado por grandes transformações nos últimos anos.  Desde 2009, ela está num intenso e rápido processo de valorização e revitalização através do programa Porto Maravilha, que vem demonstrando ser o bairro do futuro por especialistas do setor imobiliário.

Para mostrar esta evolução, o Secovi Rio fez um levantamento de informações sobre nove bairros da região com dados de compra, venda, locação e taxas condominiais de imóveis comerciais e residenciais, que estão presentes no Cenário do Mercado Imobiliário Zona Central 2019. O documento foi lançado no final de novembro na sede do Secovi Rio.

O evento contou com a presença de 70 pessoas e foi aberto pelo vice-presidente administrativo e financeiro, Ronaldo Coelho Netto, que apresentou todos os serviços oferecidos pela entidade, dando detalhes sobre os projetos que afetam diretamente os condomínios e empresas do mercado imobiliário em andamento nas esferas municipal, estadual e federal.

Os dados da pesquisa foram apresentados pelo vice-presidente Leonardo Schneider e, segundo ele, a mobilidade é o que está dando o tom para as novas mudanças na região. “A Zona Central está ganhando uma nova vocação, algo parecido com o que acontece em toda a Europa, onde o centro é também uma área residencial. A aposta maior está nos coliving’s, um conceito de habitação facilitado pelo novo Código de Obras do Rio. Aos poucos, o mercado mostra alguns indícios de melhora, mesmo que devagar, mas que devem impactar o Centro em breve”, afirmou Schneider.

Em seguida, Márcia Fonseca, diretora da Colliers, empresa internacional de serviços imobiliários e gestão de investimentos, palestrou sobre o mercado corporativo da região. De acordo com ela, o momento é de positividade para o setor, principalmente no Porto Maravilha. “A gente deixou de estar negativo, saímos do CTI. A crise é boa porque mostra onde a gente precisa se atualizar e se modernizar. O mercado corporativo no Porto já é uma realidade. Nós estamos levando os funcionários para lá. Estejam prontos para levar os residenciais”, provocou a diretora da Colliers.

O evento ainda contou com os patrocínios das empresas Haganá, Alterdata e Castelo Cobranças, cujos representantes puderam fazer uma breve apresentação dos produtos e serviços oferecidos pelas instituições patrocinadoras.

Compartilhe essa notícia
Leia também
Nova licença ambiental de Curitiba amplia geração de energia limpa
Municípios: bom resultado econômico apoiado em commodities
Rio inaugura maior roda-gigante da América Latina
Brasília tem a maior árvore de Natal do país
São Paulo promove sexta-feira sem carro
Shopping de São Paulo indenizará transexual constrangida
Calor aumenta procura por ar condicionado
Zampieri agora administra condomínios em Maceió
Belém ganha nova unidade do Senac
Rocinha será reurbanizada com investimento bilionário